Peeling químico

O Peeling Químico é um tratamento estético feito à base de ácidos. Aplicados sobre a pele, eles ajudam a retirar camadas danificadas por meio da descamação e promovem o crescimento de uma camada lisa, mais elástica, suave e fresca, realizando uma renovação celular da pele. Além da “troca de pele”, o peeling pode também estimular a derme para a produção de um novo colágeno.

Geralmente, o Peeling Químico é feito na pele do rosto, mãos e pescoço, com a finalidade de remover manchas, marcas de acne, amenizar flacidez e cicatrizes, tratar o envelhecimento da pele ou o dano causado pelo sol. Tanto homens como mulheres podem fazer o tratamento, que pode ser divididos em três tipos: superficial, médio e profundo.

Entenda a diferença entre os três tipos de peeling químico

Peeling Químico Superficial: é o tratamento mais simples. O peeling químico superficial atinge a camada mais externa da pele, beneficiando aqueles que querem clarear manchas e tratar das rugas.

Peeling Químico Médio: nesse procedimento, o ácido usado atinge a área média da camada da pele, clareando manchas, tratando rugas finas e marcas de acnes superficiais.

Peeling Químico Profundo: são removidas as camadas de pele até o nível interno. É recomendado para tratar cicatrizes e rugas profundas e também em casos de pele bem danificada pelo sol.  O pós-peeling neste tratamento exige um cuidado maior do paciente, mas traz resultados muito positivos.

O resultado deste método estético é rápido e traz resultados visíveis logo na primeira sessão. A camada nova na pele ajudará não só no tratamento de manchas e rugas, como também reduzirá a oleosidade, diminuirá a acne e o principal, melhorará a aparência e a textura da pele de um modo natural.

Fale com os especialistas da clínica Roberta Erolles para tirar todas as suas dúvidas sobre o tratamento e realizar o agendamento de seu procedimento: